Arquivo da categoria: Crise de Percepção

Idéias mecanicistas, quadradas e simplistas, cartesianas, daquelas que distorcem e reduzem os acontecimentos. Ou simplesmente visões esquizofrênicas da realidade e suas consequências desastrosas.

Quem defende a criminalização das drogas…

Padrão

Hoje pela manhã saiu no Estadão. Em entrevista, o diplomata Miguel D’arcy, coordenador do secretariado da Comissão Global de Políticas Sobre Drogas falou sobre a posição da Comissão a respeito da famosa “guerra às drogas”.

Pincelei algumas afirmações suas para compartilhar aqui. Não sou eu quem está dizendo, é o Miguel, mas não me canso de repetir estas coisas:

  • “A política repressiva traz consigo um aumento no poder do narcotráfico, violações de direitos humanos e o enfraquecimento da governança democrática”
  • “É preciso mudar a perspectiva moralista e focar em uma visão de saúde pública.”
  • “A revista Lancet, uma publicação científica reconhecida, fez uma hierarquia de drogas lícitas e ilícitas. O tabaco e álcool foram classificados como mais nocivos que a maconha”
  • “É preciso entender que O GRANDE BENEFICIÁRIO DA POLÍTICA PROIBITIVA É O TRAFICANTE”

Em síntese, quem defende a criminalização das drogas… corre junto dos traficantes.

Anúncios

Protagonismo Político Feminino

Padrão
Protagonismo Político Feminino

A parceira Liliana Peixinho me enviou pelo Facebook um artigo dela publicado na Envolverde há alguns dias. Resolvi publicar aqui pois é um texto que contribui bastante para refletirmos sobre o nosso processo eleitoral em curso, levando em conta, claro, o contexto atual de crise planetária e de um necessário salto no nosso nível de consciência. Leiam com prazer!

>>> —————————————- <<<

Por Liliana Peixinho*

A luta da mulher pela conquista de espaço, reconhecimento, direitos e inserção social acompanha o próprio desenvolvimento humano. Muito se conquistou, com certeza, com sangue, suor e lágrimas. Mídia, movimentos sociais, coletivos de trabalhadoras e a própria instituição familiar estão sempre a destacar a luta da mulher como pessoa, ser humano, mãe, trabalhadora, amiga e os mais diversos e infinitos papéis que a mulher sempre esteve, está e estará fadada a desempenhar na construção de novas civilizações. Socializar a essa discussão com ações cotidianas, focar desafios e mudanças para uma Economia circular, cidadã, sustentável é uma nova pauta na velha luta pela preservação da Vida. Leia o resto deste post

Índices de produtividade no campo: impedindo o envolvimento do Brasil

Padrão
Índices de produtividade no campo: impedindo o envolvimento do Brasil

Se o Código Florestal foi destruído com a alegação de que ele impedia o desenvolvimento do país, o que dizer de propriedades que só cumprem sua função social se os parâmetros para esta definição são ultrapassados em mais de 30 anos?

Nas últimas semanas a demanda dos movimentos sociais pela atualização dos índices de produtividade no campo ganhou novo fôlego. O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou Ação Civil Pública obrigando o Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento a atualizar tais índices.

Os índices atuais datam de 1975. Isto mesmo! A função social da terra, no Brasil, é avaliada com dados estabelecidos há 35 anos e que não levam em consideração os avanços tecnológicos, nem as transformações pela qual passou o país nas últimas décadas. Esta demanda por atualização nos índices vem sendo posta há anos e segue em debate por detrás das cortinas da grande imprensa. O próprio MPF tem processo relativo ao assunto desde 2007. Leia o resto deste post

Das raízes às flores (resgate do poema)

Padrão
Das raízes às flores (resgate do poema)

Os recentes casos de alagamentos em Pernambuco e Alagoas, as tristes imagens e as sofríveis declarações, apontam para tamanha falta de ética que espanta. Casas na beira dos rios, ocupações provavelmente estimuladas pelos processos eleitorais, pelo desenvolvimento econômico das regiões, à margem (litralmente) da qualidade de vida e do respeito aos ciclos ecológicos. E me fez lembrar do poema “Das raízes às flores“, que escrevi no ano passado. A falta de ética ataca a estética e faz da nossa sociedade esta coisa patética.

Segue abaixo:

Das Raízes às Flores (ago/2009)

Da raiz às pétalas
um tronco espinhudo.
Em cada espinho
uma agrura solitária
de impulsos mudos.

Tropeços pelo caminho,
daqueles que mudam o mundo.
São agruras solitárias
conectadas pelo cerne
de uma flor aromática.

Cada ramo, uma flor.
Até elas os espinhos
podem furar ou ferir.

Cada flor, várias pétalas.
Formando o composto
aromático e visual.

É estética e ética
das raízes às flores.
Em ramos diferentes
com espinhos no caminho
e uma complexidade de valores.

Imagine se só
de um ramo ou de uma pétala
fosse feita a flor,
fosse forjado odor
ou construído o amor.

Imagine então
a felicidade como flores
e a alegria como pétalas.
A sinergia como as cores
e a vontade como o néctar.

Como o brilho de um cristal
visto por uma águia
que manifesta valores.
É estética e ética
das raízes às flores.

Aldo Rebelo defende Código Florestal dos ruralistas

Padrão
Aldo Rebelo defende Código Florestal dos ruralistas

Hoje o deputado Aldo Rebelo não só apresentou na Câmara dos Deputados o seu parecer sobre o Projeto de Lei nº 1.876/99, como o disponibilizou para baixar no seu site (veja clicando aqui).

O que mais me surpreende é a cara de pau do Rebelo ao esclarecer explicitamente para quem este processo está sendo conduzido. Na segunda página do parecer, vem a inscrição: “Dedicado aos agricultores brasileiros”. Depois disso, praticamente deixa de ser necessário ler o restante.

A questão do Código Florestal está sendo tratado em todo canto como objeto de oposição entre ambientalistas e ruralistas. Uma forma equivocada e reducionista de abordar um debate tão importante para a nação. Muito mais do que a estes dois setores, este é um debate que implica toda a sociedade brasileira. Leia o resto deste post

Deputados federais devem votar o Ficha Limpa amanhã

Padrão

Projeto Ficha Limpa

A ONG AVAAZ está coletando assinaturas a favor do Projeto Ficha Limpa para entregar aos deputados e senadores. A meta é entregar o abaixo assinado amanhã, com 2 milhões de assinaturas. Neste exato momento, faltam pouco mais de 20 mil, mas subindo bastante rapidamente (é possível acompanhar cada assinatura feita). Para assinar e colaborar, clique aqui.

O MCCE realizou uma pesquisa para levantar a opinião dos parlamentares sobre a matéria, que pode ser acessa clicando aqui. Apesar da importância deste projeto de lei a maioria dos 513 deputados  não respondeu à questão. De todos os que responderam, 73 declararam-se favoráveis ao projeto e 11 ainda não se decidiram. Leia o resto deste post