Sorriso de dentro

Padrão

O poeta que nasce em mim
só quer saber de brincar.
Ele e óbvio, óbvio.
Só quer saber de criar.
Ele brinca de criador
só para criar brincadeiras
e cria muito, apenas por ato falho.
Alegria: meu subconsciente.

(Voltando da oficina de agricultura urbana, na ONG Camará – 04/10/11)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s