Protagonismo Político Feminino

Padrão
Protagonismo Político Feminino

A parceira Liliana Peixinho me enviou pelo Facebook um artigo dela publicado na Envolverde há alguns dias. Resolvi publicar aqui pois é um texto que contribui bastante para refletirmos sobre o nosso processo eleitoral em curso, levando em conta, claro, o contexto atual de crise planetária e de um necessário salto no nosso nível de consciência. Leiam com prazer!

>>> —————————————- <<<

Por Liliana Peixinho*

A luta da mulher pela conquista de espaço, reconhecimento, direitos e inserção social acompanha o próprio desenvolvimento humano. Muito se conquistou, com certeza, com sangue, suor e lágrimas. Mídia, movimentos sociais, coletivos de trabalhadoras e a própria instituição familiar estão sempre a destacar a luta da mulher como pessoa, ser humano, mãe, trabalhadora, amiga e os mais diversos e infinitos papéis que a mulher sempre esteve, está e estará fadada a desempenhar na construção de novas civilizações. Socializar a essa discussão com ações cotidianas, focar desafios e mudanças para uma Economia circular, cidadã, sustentável é uma nova pauta na velha luta pela preservação da Vida.

Se as conquistas femininas por um lado nos enobrece, aumenta a nossa auto-estima, nos honra e nos orgulha, paradoxalmente estar a nos entristecer, fazer pensar, repensar, ponderar, porque essas conquistas deveriam nos fazer mais felizes, menos estressadas, mais harmoniosas e menos exploradas. E isso não está acontecendo proporcionalmente às nossas conquistas históricas. Ainda somos minoria no parlamento, ainda ganhamos muito menos que os homens , fazendo as mesma funções, temos jornadas múltiplas, com acúmulo de tarefas, ainda não nos reconhecemos para nos elegermos para defender o nosso próprio protagonismo na luta por direitos. E isso é um contrasenso indignante.

E é inegável o reconhecimento da participação feminina nos mais diversos ambientes de produção. A mulher se destaca como produtora do conhecimento, difusora de informações, gestora de conflitos, executora de ações verdadeiramente sustentáveis dentro das Cadeias Produtivas, de ponta a ponta, seja no lar, no trabalho, na escola, na família, na comunidade, na política, na economia. Enfim, o olhar, o fazer, o cuidado feminino é instrumento revolucionário para a construção do novo paradigma do equilíbrio entre as necessidades de consumo e a preservação de matrizes energéticas limpas.

Marina Silva, Rose Bassuma e diversas outras mulheres que estão na luta pela conquista de novos degraus, no mais alto grau da representação política de um país, são oportunidades que nós, mulheres e/ou homens com sensibilidade feminina, temos agora, nesse processo eleitoral inédito, para reconhecermos, de fato, esse protagonismo feminino histórico. É importante nos apoderarmos de informações claras e diversas para analisarmos causas do desperdício do direito político eleitoral, valores e projetos da sociedade, saber contextualizar de crise estrutural do capitalismo, desenhar e perseguir uma nova visão integrada, holístíca, multifacetada, atenta a necessidade do cumprimento de todas as etapas para a formação de cadeias produtivas alinhadas às novas necessidades de um planeta sedento de cuidados para garantirmos a Vida. Planejamento, atitude, luta, aplicação de políticas para o desenvolvimento humano sustentável, com eqüidade, justiça social e equilíbrio ambiental, são fases importantes para qualquer ação no presente e garantia do futuro. Precisamos colocar em prática atitudes de mudança no consumo em nome da preservação da vida. Visito faculdades, empresas e instituições que têm projetos ditos “sustentáveis”, mas que não passam das idéias. O desafio é a garantia da vida com qualidade, prazer, alegria, desejo de querer fazer não porque alguém nos manda, ordena, impõe, mas porque sabemos ser necessário, importante no papel de cada um, em casa, no trabalho, na escola, no lazer. Oportunidades que estão diretamente linkada com a necessidade de mudança de comportamento para novas atitudes sobre Consumo Consciente, Comércio Justo, Produto Limpo, Desperdício Zero, Cultura dos RRRRRR – Repensar, Racionalizar, Reduzir, Reaproveitar, Recriar, Reinventar, Reciclar, Revolucionar, através da participação social proativa, voltada para uma Economia Circular, sem desperdícios, com aproveitamento integral, total de tudo, com resíduos na perspectivado zero.

Mais do que entender os efeitos negativos provocados pelo Aquecimento Global e as grandes catástrofes verificadas nos últimos anos, está faltando ao Ser Humano entender, interiorizar, absorver, no coração, alma e cérebro, que a felicidade em Ser pode estar na busca do encontro com o outro. E para caminhar nessa direção precisamos enfrentar, ainda mais, novos obstáculos, abrir mão de comportamentos egoístas, imediatistas, superficiais e meramente repetitivos, convencionais, para transgredir, subverter e quebrar regras milenares em nome da dinâmica natural das leis do Universo, com renovação, invenção, criatividade, compromisso e prazer em fazer.

Fonte: Envolverde, dia 09/08/2010

Anúncios

»

  1. Esse é um manifesto pela emancipação negativa da mulher? Como os servos da idade média, elas se livram do lar para se ligar ao mercado de trabalho. Se libertam como consumidoras, restando a elas a liberdade de compra frente as prateleiras do supermercado.

    E ainda aceitam a farsa igualdade jurídica e do jogo democrático burguês. Isso é libertação?

    • Olá Pedro.

      É uma reflexão importante. Contudo, entendo que para nós, homens, é fácil confundir a batalha feminina por eqüidade com trilhas de aceitação. Também é importante o fato de a Liliana, em nenhum momento, usar o termo liberdade em seu texto, mas sim “conquista de espaço, reconhecimento, direitos e inserção social”. Isto já mostra o quanto podemos não entender e/ou prejulgar as aspirações femininas.

      Vou encaminhar sua pergunta para a Lilian, muito mais apropriada para respoder-lhe do que eu. Provavelmente, aprenderemos bastante.

      Obrigado pela contribuição!

      • Parceiro Bruno

        O relato, muito de dentro da experiencia cotidiana, sobre o que chamei de PROTAGONISMO POLITICO FEMININO, ‘e um manifesto feminino de indignacao, diante da atual condicao de vida da maior parte das mulheres do mundo, especial do Brasil, por tudo o que esta escrito la no texto. Vc ja ouviu sua mae, uma amiga mais velha,uma tia ou quem sabe sua namorada, companheira, parceira ..reclamar q esta muito cansada, que o dia foi longo, q ta doendo aqui ou ali ou aqui e ali? E, pior, que quase nunca sobra tempo para elas cuidarem dos problemas como precisam e merecem? E sobre isso que o texto tenta alertar. Desculpe a demora para responder e que estou em campo, nas comunidades tradicionais quilombolas, vendo essas dores de perto, e nao tive condicoes de acesso ao FB. Bacana seu perfil responsavel… Vamos em frente que 2014 ta perto e que quero uma mulher como Marina para gerir esse Brasil como ele precisa.
        Sds harmoniosas
        Liliana Peixinho

  2. Pingback: Tweets that mention Protagonismo Político Feminino « Anticorpo de Gaia – Ação Comunicativa pela Sustentabilidade -- Topsy.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s